25 de fevereiro de 2007

Diz-me mãe, eu quero saber...

Depois de uma semana repleta de notícias menos boas a culminar na súbita partida do Yuri (ler post anterior) decidi refugiar-me uma vez mais na escrita. Ao vasculhar os poemas mais antigos descobri um onde tentei de algum modo retractar a inocência da visão do meu primo de 6 anos a olhar o sol. A guitarra estava mesmo ali ao lado e o resultado foi este…





Diz-me mãe onde se esconde o sol
Quando à noite vai dormir
Será a lua assim tão má
Para ele ter de fugir

Se o sol é assim tão grande
Como a ciência nos diz
Como posso então tapá-lo
Com o chapéu do primo Luís

Diz-me mãe
Diz-me sem mentir

Se o sol está a arder
Porque não vais acudir?
Diz-me mãe, eu quero saber
Onde o sol vai dormir

4 comentários:

Eng a sério disse...

Tu és um autêntico serial killer da música!!!!!!

claudia disse...

palmas, palmas, é a primeira vez k t oiço a cantar e a tocar, mt bem para principiante n tá mal, mas como profissional tens k afinar aí uns acordes. os poemas sem duvida sao o melhor, parabens bjinhos espero k daki pra frente n tenhas mtos desgostos.
ah e gostei da bicicleta...

Tiago disse...

Muitíssimo bem, o sr carvalho ja de bacalhau na mão!!! é assim mesmo, explorar o até agora inexplorado... continua. abraxo

Tiago disse...

Ja agora deixo aki um desafio que, axo k vais gostar!!! abraxo

http://www.youtube.com/watch?v=7Z6UCkwoE2E

Trans - Siberiano