7 de janeiro de 2008

Escravos do fumo...

São oito da noite no aeroporto de Palma de Maiorca quando me deparo com uma situação que me fez relectir sobre a evolução da sociedade Humana e também sobre a história do nosso País.

Como sabem no dia 1 de Janeiro de 2008 entrou em vigor uma nova lei mais restritiva sobre o consumo de tabaco em espaços públicos. Esta lei, que recebo de braços abertos, tem no entanto dois pequenos grandes problemas. O primeiro problema é o timming com que foi aprovada, ou seja, tardia... O segundo problema é o facto de esta lei ficar àquem das expectativas. A lei deixa em aberto a opção de espaços com mais de 100m2 optarem ou não por ter espaços reservados a fumadores desde que os espaços em questão estejam devidamente isolados e com ventilação adequada. A principio até parece que a lei é boa, no entanto sou da opinião que deveria ter ido mais longe proibindo o consumo de tabaco em todo e qualquer espaço público fechado... Não há, a meu ver, motivo para que se abram excepções aos espaços públicos com mais de 100m2. São estes pequenos grandes pormenores que arrastam depois a nossa sociedade a tentar encontrar sempre meios de contornar a lei. Com a proibição total acabava-se com a oportunidade dada ao Chico Espertismo Português (que em alguns casos até é bem útil) de inventar coisas e coisinhas em nome do tão amado cigarro...

Mas, se uma coisa é a lei, outra coisa são as pessoas que esta lei vai afectar, ou seja, os fumadores...Comecei então a pensar em tempos passados, os tempos do nosso Império. Uma época em que cortávamos oceanos embarcados em frágeis lenhos levados por ventos de Fé... Um tempo onde íamos a jogo na geopolítica Mundial com figuras e ases, um tempo no qual enterrávamos sangue Negro a favor da nossa vaidade e soberania... É verdade, apesar de Portugal ter sido dos primeiros países a abolir a escravatura, esta continua a ser um facto incontornável na nossa história... Por incrível que pareça, foi aqui, no Aeroporto de Palma, que os horrores da escravatura imposta por Portugal me vieram à mente, tudo por causa desta imagem...

Ao que parece os nossos vizinhos Espanhóis encontraram uma solução para os fumadores que não prescindem do seu cigarro (não duvido que no futuro possamos encontrar em Portugal algo parecido).Assim sendo, criaram um espaço fechado onde os seguidores do vício podem praticar os seus rituais destrutivos de inalação... Confesso que fiquei a olhar para aquela triste imagem uns bons cinco minutos... Penso que esta imagem reflecte bem a desevolução da nossa sociedade...

Séculos depois de abolida a escravatura o ser Humano está novamente a construir prisões para um novo tipo de escravos. Agora temos prisões para os escravos do fumo... Pessoas que por serem diferentes são metidas em autênticas “jaulas” de modo a se auto destruirem... Mas a grande marca da desevolução vem agora. No passado os colonizadores Portugueses vendiam e mantinham os Negros em jaulas por causa de sua cor, agora, em pleno ano 2008, não obrigamos ninguém (fumadores) a ir para a “jaula”, o que mais me choca é que eles vão sozinhos e de livre vontade...

6 comentários:

Sara disse...

ola.imagem interessante.lol. mas acho que nao podemos ser radicais Luis. Cada um tem o direito de decidir o que fazer com a sua saúde, se quer fumar ou não. e nao acho bem acabar com os espaços para fumadores quando eles são possíveis de existir, como é o caso dos espaços com mais de 100m2. Tal como existem espaços para não fumadores, devem existir espaços para fumadores. eu nao sou fumador e defendo isso. beijinho

Sara disse...

e "pessoas que por serem diferentes" é muito forte Luís. Será a opção uma diferença?

Luis_Carvalho disse...

Olá Sara...
Obrigado pelo comentário :)

Como dizes e muito bem, cada um "tem o direito de decidir o que fazer com a sua saúde", só que ao fumar num espaço público não está só a decidir sobre a sua saúde mas também sobre a saúde dos outros.

Ora, isso é algo que não deve acontecer... Penso que acabar com todos os espaços para fumadores em espaços fechados não é ser radical, é ser realista e vai de encontro ao que já se faz por essa Europa fora.

Não defendo que exista tais espaços de modo a evitar más interpretações da lei (veja-se já o caso dos casinos) e também pelo facto de os espaços construidos para os fumadores serem construidos com o dinheiro de todas as pessoas que frequentam um café, restaurante, etc... Eu não gosto de indirectamente financiar uma infraestrutura só para que alguém possa estar sentado a fumar o seu cigarro... Mais, sei que há estabelecimentos que podem construir tais infraestruturas (espaços para fumadores) e outros não. Isto leva a uma concorrência desleal entre que tem dinheiro e quem não o tem...

Conclusão: a proibição total evitava custos aos proprietários e más interpretações da lei. Havia justiça na actividade económica e não se usavam receitas para financiar vícios. Já pra não falar das óbvias vantagens para a saúde de ambas as comunidades..

Quanto à palavra diferente. Não penso que seja forte. Se o é, foste tu quem fez essa interpretação. A opção é obviamente uma diferença, eu opto por não fumar, outros optam por fumar, se isto não é diferença o que será? igualdade?... De uma coisa tenho a certeza, eu e essa pessoa não somos iguais se estivermos num espaço público onde coexistam espaços para fumadores e não fumadores, pois cada um estará a "exercer" a sua diferença.

Eu acho que se fosse fumador preferia não fumar a ser posto de lado num zona reservada para o efeito, isso sim, penso que não é igualdade

Sara disse...

se me dizes que a difença é dos dois lados, aí compreendo. mas o que dizia no teu post era que os que fumavam é que eram diferentes. e isso não o são.

Sara disse...

"Como dizes e muito bem, cada um "tem o direito de decidir o que fazer com a sua saúde", só que ao fumar num espaço público não está só a decidir sobre a sua saúde mas também sobre a saúde dos outros."

nos espaços públicos onde poderá haver fumadores e não fumadores, haverá condições para que os não fumadores não sejam incomodados, logo, os fumadores não estão a influenciar a sau´de dos outros.

Luis_Carvalho disse...

Olá Sara...

parece que a palavra diferença faz confusão. Não sei porque..

No meu ponto de vista os fumadores são de facto diferentes. Aliás, é por causa de serem diferentes que a lei foi para a frente. Pois se não fumassem nos espaços fechados não era necessário a construção de espaços para eles.

As pessoas são livres de optarem, não tenho nada contra isso. Agora, quando fazem uma opção também têm que se sujeitar ás consequências que dela advém. Muitos anos aguentei o fumo dentro de cafés e ninguém se preocupou com a "minha" opção. Agora temos uma lei que até se preocupa em criar espaços só para fumadores, tudo por causa da "opção" deles...

Quanto aos fumadores não incomodarem os não fumadores nos espaços criados para o efeito... bem... Até pode ser verdade, basta que a lei se cumpra à risca e que a ventilação e o isolamento sejam alvo de fiscalização. Algo que costuma estar em défice em Portugal. Mas isso são pormenores que nem fumadores nem não fumadores têm culpa... Espero para ver...

Trans - Siberiano