9 de dezembro de 2007

Sauna...(pode conter cenas susceptíveis de ferir a sensibilidade de alguns leitores)

Pois é...
Finlândia finalmente.

Estou-vos a escrever a uma latitude de aproximadamente 60.17 º, ou seja, nunca escrevi tão perto do Polo Norte. Este é o País mais diferente de todos aqueles que alguma vez tive o prazer visitar.

Ontem começou oficialmente a conferência final do projecto ASTRA. O dia, ou melhor, a noite (ás 3 da tarde já os carros circulavam de luz acesa) começou com uma reunião geral, uma reunião que foi sem dúvida a mais estranha e interessante de todas as reuniões em que participei...

Como sabem a Finlândia tem uma longa e orgulhosa tradição no que diz respeito à cultura da sauna. Não há hotel em Helsínquia em que a sauna não faça parte do pacote básico da reserva de um quarto. Eu sabia disso, o que não sabia, é que a reunião ia ter lugar precisamente dentro de uma sauna...

Como se tratava de uma coisa tipicamente Finlandesa, decidi entrar na sauna somente com dois objectivos. O primeiro era dar o meu melhor na discussão, o segundo era compreender o porquê do fascínio que esta nação desenvolveu pela sauna.

Na Finlândia, tradicionalmente, homens e mulheres fazem sauna separadamente. No entanto, o coordenador, decidiu que desta vez a sauna seria feita em conjunto. No total havia 3 saunas onde diferentes tópicos iam ser discutidos e teríamos, por obrigação, de participar em todas elas. E assim foi, cada grupo entrou para o respectivo balneário e ficou combinado encontrar-mo-nos à entrada das saunas dentro de 15 min. Só havia duas coisas que o coordenador impunha, a primeira era levar boas ideias para o encerramento e para um posterior folowup, a segunda era que toda a roupa ficasse cá fora...

Ninguém era obrigado a participar se não se sentisse à vontade...

O Philipp (coordenador) dá o primeiro passo e entra na sauna, deixa a porta aberta e espera...
Ficamos todos a olhar uns para os outros... Pensei uma, duas, e à terceira vez deixo a toalha pendurada e sento-me ao lado no Philipp. A verdade é que passados 10 min a sauna estava cheia...

Como ninguém falava decidi dar eu o primeiro passo...
Eu - Sabes Philipp, tinham-me dito que a sauna era suposto ser relaxante...
Philipp - É verdade...
Eu - Pois bem... Para te dizer a verdade... eu estou tudo menos relaxado...

Houve uma gargalhada geral e a partir dai a conversa não mais parou... Discutimos pontos fracos e fortes do projecto, delineamos a framework para o próximo. Combinamos levar os resultamos aos vários responsáveis pelo ordenamento do território na região do Mar Báltico, traçamos metas para a finalização dos papers e respectivas publicações. Acertamos alguns detalhes pendentes e, depois e uma hora e meia repartida pelas 3 sauna que estavam ao dispor, já ninguém se recordava da "vergonha" inicial..

Começava então a entender...

A água era lançada para as pedras rubras do calor da fogueira, o vapor ia enchendo a atmosfera como que um sopro vindo das entranhas da terra. Olhei o termómetro, indicava 80 graus. Então, ali, no meio dos corpos transpirados e reduzidos ao elemento primordial da vida, entendi a filosofia da sauna...

Sauna é igualdade... Na sauna não há fortes nem fracos, o calor ganha sempre. Na sauna não há ricos nem pobres, todos os objectos de valor ficaram cá fora, não nos distinguem pela roupa que usamos nem pelo carro que temos na garagem...
Na sauna eu sou igual a ti...

Foi uma experiência engraçada que volto a repetir amanha, depois da minha apresentação :)

Abraços...

PS: fotos não há :)

4 comentários:

Gó disse...

Como não há fotos???!!!!
Diverte-te e aproveita ao máximo as novas experiencias...


Beijinho

Juditinha disse...

Realmente isso é mto mto estranho. Mas o que interessa é a experiência.... e as fotos não há???
bjos

Juditinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
my_wonderwall disse...

Hummm... Finland, Finland, Finland, The country where i want to be =)

excelente retrato =)

Abraço

Trans - Siberiano