1 de maio de 2007

Uma das maiores de sempre 3...

No meio dos textos e da "carrada" de poemas que tenho na gaveta encontrei um pouco de tempo para a música...

Já há muito que esta banda merece uma homenagem no meu blog, foi e para mim ainda é, uma das melhores bandas que alguma vez existiu. Estou a falar da lendária banda do Grunge chamada Pearl Jam. Quando dizemos "uma das melhores" temos é claro de explicar porquê... E perguntam vocês, como definimos se uma banda é boa ou má...Pelo número de discos vendidos? Pelo número de semanas de um single no nº1? Pelos MTV music awards ganhos? ou será tudo uma questão de gostos pessoais?

A minha opinião é simples, trata-se sobretudo de uma questão de coerência, e se há banda que a tem são os Pearl Jam... A coerência de fazer a música não ao gosto das editoras mas sim do modo que bem entendem, a coerência de levantarem processos judiciais contra o monopólio da venda de bilhetes nos EUA, a coerência das causas humanitárias, a coerência de uma vida a fazer música por necessidade e não por show off... e é claro, como se tudo isto não fosse suficiente temos ainda a coerência da actuação... No Grunge não há efeitos de luzes, não há pirotecnia, não há ecrãs gigantes nem palcos de 1 trilião de watts, não há sintetizadores a debitar sons pré fabricados em laboratório...O Grunge resume-se a 3 guitaras ,1 baixo e uma bateria em cima de um palco "manhoso"...

Os Pearl Jam são o périplo deste estilo musical, os dotes vocais do Eddie Vedder enchem a atmosfera de sentimentos contraditórios e a brilhante manipulação das cordas por parte do Mike McCread dá sentido a toda uma viagem musical que poucas bandas ousam fazer...

E agora deixo-vos com um conselho, se um dia fizerem a mesma experiência que eu e vierem morar para um País estrangeiro lembrem-se bem desta música dos Pearl Jam, lembrem-se que I got ID...


3 comentários:

Go disse...

Guten Morgen Freundchen...
É nisso que as pessoas se vão tornando mesmo não as conhecendo "fisicamente"...
Também eu sei o que é morar num país estrangeiro e ter "MONTES" de horas de solidão absoluta em que o pensamento anda por caminhos que pensavamos já ter apagado do nosso mapa existêncial...

A parte da letra do I got ID que mais gosto é esta:
....
On empty shells seem so easy to crack
Got all these questions
Don't know who i could even ask
So i'll just lie down and wait for the dream
Where i'm not ugly and you're lookin' at me

And i'll stay in bed...
Oh, little i've seen there
If just once i could be loved...

Michu disse...

a minha favorita é mesmo o nothing man...

Mas i got id, vale a pena...

para e reflectir é preciso..

muitas vezes ouvimos as músicas, cantamos, sem sequer pararmos para pensar no que estamos a dizer.

Este exercício de introspeção as vezes faz muito bem...


Once divided...
nothing left to subtract...
Some words when spoken...
can't be taken back...
Walks on his own...
with thoughts he can't help thinking...
Future's above...
but in the past he's slow and sinking...
Caught a bolt to lightning...
cursed the day he let it go...

Go disse...

"Some words when spoken...
can't be taken back..."
Nada mais verdadeiro...
...A partir de um certo momento não há ponto de retorno, a menos que se ignore determinado espaço de tempo....

Trans - Siberiano