17 de junho de 2015

Pedro Pirite...

Como começa uma ideia? De onde surge? Como toma forma? Não tenho resposta a estas perguntas nem sequer as busco. As ideias surgem e nada mais. São, talvez e só, uma momentânea ordem no caos da vida, uma curta expedição que fazemos pela estrada do racional durante os raros momentos em que o acaso (aquele que tudo comanda) olha para o lado. Assim são as ideias, sem origem e sem senhor. 


A primeira ideia foi a de uma ponte, de uma chuva permanente e de um jantar no tempo. Sem saber porquê a ideia mudou, ou talvez a primeira ideia nunca fora sequer digna do nome. E veio então a segunda. Veio por ela própria porque eu nunca a busquei. Veio cavalgando a primeira, domando-a, fazendo dela brinquedo. Sem piedade, acrescente-se. Ficou a segunda para me alimentar de esperança de um dia, quem sabe até este ano, a terminar. Ficou aquilo a que por agora chamo Pedro Pirite.

3 comentários:

Daniela disse...

Livro novo? Gosto imenso de ler o que escreves 😊

Daniela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luis Carvalho disse...

Sim Daniela... um livro que será novo... só não sei ainda quando :)

Trans - Siberiano