23 de julho de 2007

Um dos maiores de sempre...JP

Pois é, vem este post a propósito do mais recente disco do grande JP, Jorge Palma para maioria... O novo albúm chama-se Voo Nocturno e lá dentro podem encontrar o single Encosta-te mim. Uma música muito ao estilo do JP, grande sonoridade e um letra que quebra regras em cima de regras no que toca à métrica.. afinal de contas, desde quando é que o JP ligou a regras?
É sem dúvida um grande artista, pianista, compositor, cantor... Começou a aprender piano aos 6 e em 1963 vence o Concurso Internacional de Piano, integrado no Festival das Juventudes Musicais em Palma de Maiorca. Em 67 integra a banda Algarvia Black Boys, tocando órgão.. No entanto, durante um concerto o seu pai aparece, puxa-lhe as orelhas e leva-o de volta para Lisboa. Até 79 estuda Engenharia na Faculdade de Ciências de Lisboa tocando também no grupo pop-rock Sindicato. Estreia-se finalmente a solo em 72 com o single The Nine Billion Names of God. Em 1973 JP recusa o serviço militar, de modo a não embarcar numa guerra para o Ultramar parte para a Dinamarca com Gisela Branco (a sua primeira mulher) onde lhe é concedido asilo político. Na Dinamarca trabalha num hotel enquanto continua a compor e escrever músicas, regressa a Portugal em 1974. No início da década de 1980, regressou a Paris, com a sua segunda mulher voltando a Portugal em 1992 para gravar o álbum Acto Contínuo. Em 1983 nasce o seu filho Vicente e em 1986 JP lança o seu sexto álbum de originais e um dos mais aclamados da sua carreira, O Lado Errado da Noite. Em 1989 lança Bairro do Amor, considerado pelos jornais Público e Diário de Notícias como um dos álbuns do século da música portuguesa. Durante a década de 90 a sua carreira prossegue a bom ritmo, O álbum intimista , gravado em 91 é aclamado uma vez mais pela crítica... Integrou projectos como os Rio Grande e colaborou com Sérgio Godinho, João Peste, Rui Reininho. Mas é a solo que todos gostamos de JP, o álcool e as drogas quase fizeram eclipsar um génio, voltou a brilhar em 2001 com o álbum Jorge Palma, muito bem recebido pela crítica e ainda mais pelo público, ávido de novas músicas, mais de doze anos decorridos sobre o lançamento do seu último disco de originais. Uma vida marcada pelo estilo marginal e despreocupado, líricamente exorbitante, emprega muitas vezes palavras descontextualizadas que surpreendentemente formam um belo e harmonioso poema. Do lado musical nada a dizer, tem a experiência do conservatório e uma vida a ganhar "calo" nas actuações por esse Portugal fora. Senhoras e senhores, um dos melhores de sempre, o inconfundível Jorge Palma...



3 comentários:

QuacK disse...

definitivamente surpreendes-me! TU fã de JP!!!! uau!!!!!!! muito Bem!!!!

Bitó disse...

Concordo plenamente qd dizes que jorge palma é um genio da musica portuguesa!!! na minha opiniao um dos mais geniais compositores e interpretes da musica portuguesa!!! E para kem tiver duvidas vá ver um espetaculo ao vivo e aprecie!!!

claudia disse...

um dia o meu pai (conhecedor da minha insaciavel paixao por jorge palma) telefonou-m e disse-m:ontem vi um amigo teu aqui(lagos) e eu: quem? e logo m respondeu: olha não sei bem o nome mas estava sentado no meio da rua com uma viola na mão a cantar.... era o jorge palma!!!! e é mesmo assim k eu o vejo....

Trans - Siberiano