13 de junho de 2007

Paredes ensina os bárbaros...

Na segunda passada o coordenador de departamento dos Sistemas Naturais patrocinou uma excursão à estação de observação da natureza situada em Gülpe (mais ou menos no meio de coisa nenhuma).

Durante a viagem, que demorou cerca de 2 horas, levei comigo o leitor de mp3 onde figuravam algumas músicas desse nome maior da guitarra Portuguesa, o senhor Carlos Paredes. Para meu espanto os colegas mostraram-se muito interessados na música e na história desta personagem incontornável na nossa história músical. Uma vez que a música tradicional deste povo tem tanto encanto como um elefante a rebolar num campo te tulipas decidi ensinar-lhes umas coisas...

Paredes começou a estudar guitarra portuguesa aos quatro anos com o seu pai, embora a mãe preferisse que o filho se dedicasse ao piano, frequenta o Liceu Passos Manuel, começando também a ter aulas de violino na Academia de Amadores de Música. Em 1934, muda-se para Lisboa com a família, e abandona o violino para se dedicar, sob a orientação do pai, completamente à guitarra (ainda bem). Em 1958, é preso pela PIDE por fazer oposição a Salazar, é acusado de pertencer ao PCP, de que era de facto militante, sendo libertado no final de 1959 e expulso da função pública na sequência de julgamento. Durante este tempo andava de um lado para o outro da cela fingindo tocar música, o que levou os companheiros de prisão a pensar que estaria louco - de facto, o que ele estava a fazer, era compor músicas na sua cabeça. A sua paixão pela guitarra era tanta que, conta que certa vez, a sua guitarra se perdeu numa viagem de avião e ele confessou a um amigo que «pensou em se suicidar».

Uma doença do sistema nervoso central, impediu-o de tocar durante os últimos 11 anos da sua vida. Morreu em 23 de Julho de 2004 na Fundação Lar Nossa Senhora da Saúde em Lisboa, sendo decretado luto Nacional.

Durante a viagem Paredes foi rei. Mais um exemplo saudável de intercâmbio de culturas...





2 comentários:

Tiago disse...

Men, esta mais k provado k nos nao olhamos para dentro do nosso pais... aki tb toda a gente pergunta pela Amalia e Mariza! abraxo

A que fui disse...

Carlos Paredes é sem dúvida um mago da música... Há certas músicas que conseguem simplesmente arrepiar... E confesso que muito graças às músicas dele decidi experimentar o Bandolim... Sei que não é o mesmo instrumento, mas é semelhante e pareceu-me mais acessível... (lol
Abraço!

Trans - Siberiano